THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A comida ajuda na sensualidade

A porta abriu-se e António apareceu lindo e perfumado. A casa também estava cuidadosamente arrumada, sem velas ou meios tons, mas com bom gosto, muito bom gosto. Era o terceiro encontro de Alice com o novo namorado. E ele convidara-a para jantar em sua casa. Nunca um namorado lhe tinha feito um convite desses, pelo menos no início de uma relação.

Para começar, António trouxe-lhe um gaspacho. “Que criativo!”, pensou Alice. Depois, serviu uns bifes especialmente preparados com batatas fritas. “Que querido”, derreteu- -se a especialista em Marketing, de 29 anos, que a esta altura já estava completamente rendida. E, como se não bastasse, encerrou com uma mousse de chocolate deliciosa. Não eram, de todo, pratos rebuscados ou refinados. Não contavam com condimentos raros ou exóticos, nem eram fruto de receitas ultra-exclusivas. Mas através dos seus dotes culinários António deixava-se conhecer um pouco mais. Cada garfada revelava mais que sabores. Mostrava diversas facetas de António – carinhoso, criativo, sensível, viril – e aproximava-o de Alice.
As mulheres também se agarram pelo estômago? Não propriamente, mas o ato de servir uma refeição ou de a preparar em conjunto, em casal, tem muito mais que se lhe diga do que apenas saciar a fome. Pode ser um gesto extremamente sensual.
E nem é preciso ir a extremos como a célebre cena do filme 9 Semanas e 1/2, em que Kim Basinger e Mickey Rourke se lambuzavam com tudo o que havia no frigorífico numa tórrida cena de sexo.

 Uma noite especial
Pode ser entre amigos ou a dois, mas não precisa de deixar de ser sensual e intimista. Eis aqui sugestões para que o seu jantar seja um sucesso.

Na cozinha
• Simplicidade é a chave do sucesso.
• Uma ementa simples e leve torna tudo mais fácil. A preparação é menos desgastante e a digestão não é pesada.
• Uma salada como entrada, uma massa fresca como prato principal e uma sobremesa com base em frutos da época em forma de mousse, gelado ou coulis, podem ser excelentes opções.
• Escolha o que vai fazer, faça uma lista de tudo o que vai precisar e compre tudo de véspera.
• Não se esqueça das bebidas para o jantar e também dos aperitivos.
• Se a idéia é cozinhar a dois, deixe os ingredientes mais ou menos preparados: separe as quantidades necessárias, lave os legumes e verduras, limpe a carne ou o peixe e arrume tudo o que vai precisar na bancada ou na mesa de apoio.

O ambiente
• Elimine as distrações. Tire de vista as cartas por abrir, as contas por pagar, as roupas por arrumar.
• Pense nos sentidos.
• Use as luzes para dar o tom. Recorra a flores ou a velas, mas mantenha a simplicidade.


• Escolha uma música suave. Deixe o hip hop, o rock e o heavy metal para outra ocasião.


• Perfume o ambiente com incenso ou essências para a casa, mas seja comedido (a). Um aroma demasiado forte só atrapalha.


• Vista-se para a ocasião. Não é por ser na sua casa que vai deixar de pôr uma roupa especial.

Comida e sensualidade andam de braços dados. E sobre isto não restam dúvidas. No amor e à mesa, os sentidos estão em estado de alerta, aguçados, prontos para a descoberta e para o prazer. “Tem tudo a ver estarem juntos. A sensualidade está ligada à parte emocional, à sensibilidade, aos cinco sentidos”, observa Ljubomir Stanisic, de 29 anos, chefe de cozinha que dirige o seu restaurante 100 Maneiras, em Cascais, conhecido por defender esta ligação, equiparando o prazer do sexo ao prazer que os sabores despertam no paladar.
Mas é uma sensualidade que não depende apenas dos alimentos. Envolve distintos fatores, como o ambiente e o próprio gesto de preparar uma refeição. É o prazer de dar prazer, de partilhar, de proporcionar satisfação, alegria e bem-estar a outra pessoa. “O ambiente aguça os sentidos e até torna as coisas mais saborosas. Estar à mesa com alguém é um momento de intimidade. Não é por acaso que a maior parte dos acontecimentos de enamoramento e encontros românticos passa por envolver comida – comer juntos, jantar fora e até beber um café”, observa Marta Crawford, psicóloga, sexóloga e terapeuta familiar.
“Tudo é estimulante porque envolve um ritual. Isto é cultural. Desde a Idade da Pedra que o homem se reúne à volta da fogueira para comer”, acrescenta Ljubomir Stanisic. Quando não está a trabalhar no seu restaurante, este chefe de cozinha gosta de preparar comida para os amigos. “Gosto de ver as pessoas a comer com prazer. É um pouco egoísta, mas dá-me imenso gozo”, confessa. “Gosto de os ver a participar, a provar, a acompanhar a comida.” Nestas ocasiões, os seus produtos de eleição são os vegetais e o peixe. “Normalmente as pessoas não têm sensibilidade para estes alimentos. Vejo nas suas casas que não os tratam com tanto carinho. Elas tendem a não recorrer a estes alimentos ou a usá-los em sopa ou a cozê-los demais. Assim, gosto de as surpreender, de lhes revelar o lado encantador destes alimentos”, explica Ljubomir Stanisic.
Marta Crawford, por sua vez, gosta de cozinhar em ocasiões especiais. No dia-a-dia até cozinha rápido e bem, mas não gosta especialmente. É também um bom garfo, que gosta de cozinhas complicadas como a francesa, a japonesa, a italiana. Mas, na opinião desta sexóloga, uma refeição sensual não precisa de ser especialmente complexa. “Tudo depende da companhia. Até um ovo estrelado pode ser uma excelente opção”, refere. E há alturas em que é isso mesmo que lhe apetece.
E os afrodisiacos? Marta Crawford acredita que sejam mais sugestão do que outra coisa qualquer. “É claro que há produtos que provocam uma certa aceleração cardíaca e um aumento do fluxo sanguíneo, que podem fazer apelo à sexualidade, mas acho que o envolvimento que a comida proporciona é o que realmente pesa”, sublinha. “Mas alguém pensar em nós, fazer algo especialmente para nós é que cria uma pré-disposição para o romantismo e a sensualidade.”
“Gosto de cozinhar para as pessoas mas não acredito que haja alimentos ideais para as aproximar ou estimular a intimidade”, conta Ljubomir Stanisic. “Sou totalmente contra a idéia de comida afrodisíaca”, afirma com veemência. “O gesto de cozinhar é já de si afrodisíaco.”
“Este é também um gesto romântico. E até hoje todas as mulheres que tive foram por causa da comida”, recorda o chefe do 100 Maneiras. Mas, infelizmente, amigos e mulheres tendem a sentir-se intimidados de cozinhar para ele. “Quem me seduziu com a comida e ainda o faz é a minha mãe”, responde de imediato.
O dia-a-dia que passa à velocidade da luz muitas vezes dificulta que encontremos espaço para manter este ritual de sedução. Mas é preciso criar tempo para isso. “Muitas vezes chego cansada mas procuro, pelo menos uma vez por semana, criar um momento especial para jantar com o meu marido ou com os amigos em casa, com coisas que vou comprar especialmente no mercado biológico. Para estas ocasiões escolho sempre pratos bonitos e muito saborosos”, comenta a personal stylist Sofia Malta. Nestes dias gosta de preparar a casa, pôr flores, acender velas… para depois ouvir os gemidos de satisfação dos seus comensais, a delirar enquanto comem o que ela lhes preparou. “Há sempre boa disposição nisso tudo. Quando estamos entre amigos ou só os dois. Num jantar tête-à-tête acabamos por passar imenso tempo à mesa”, declara.
António e Alice fazem o mesmo. Desde aquele primeiro jantar em casa dele nunca mais se separaram. Já lá vão 10 anos. Uma relação temperada com o prazer à mesa.


Por Mariza Figueiredo

0 comentários:

A comida ajuda na sensualidade

A porta abriu-se e António apareceu lindo e perfumado. A casa também estava cuidadosamente arrumada, sem velas ou meios tons, mas com bom gosto, muito bom gosto. Era o terceiro encontro de Alice com o novo namorado. E ele convidara-a para jantar em sua casa. Nunca um namorado lhe tinha feito um convite desses, pelo menos no início de uma relação.

Para começar, António trouxe-lhe um gaspacho. “Que criativo!”, pensou Alice. Depois, serviu uns bifes especialmente preparados com batatas fritas. “Que querido”, derreteu- -se a especialista em Marketing, de 29 anos, que a esta altura já estava completamente rendida. E, como se não bastasse, encerrou com uma mousse de chocolate deliciosa. Não eram, de todo, pratos rebuscados ou refinados. Não contavam com condimentos raros ou exóticos, nem eram fruto de receitas ultra-exclusivas. Mas através dos seus dotes culinários António deixava-se conhecer um pouco mais. Cada garfada revelava mais que sabores. Mostrava diversas facetas de António – carinhoso, criativo, sensível, viril – e aproximava-o de Alice.
As mulheres também se agarram pelo estômago? Não propriamente, mas o ato de servir uma refeição ou de a preparar em conjunto, em casal, tem muito mais que se lhe diga do que apenas saciar a fome. Pode ser um gesto extremamente sensual.
E nem é preciso ir a extremos como a célebre cena do filme 9 Semanas e 1/2, em que Kim Basinger e Mickey Rourke se lambuzavam com tudo o que havia no frigorífico numa tórrida cena de sexo.

 Uma noite especial
Pode ser entre amigos ou a dois, mas não precisa de deixar de ser sensual e intimista. Eis aqui sugestões para que o seu jantar seja um sucesso.

Na cozinha
• Simplicidade é a chave do sucesso.
• Uma ementa simples e leve torna tudo mais fácil. A preparação é menos desgastante e a digestão não é pesada.
• Uma salada como entrada, uma massa fresca como prato principal e uma sobremesa com base em frutos da época em forma de mousse, gelado ou coulis, podem ser excelentes opções.
• Escolha o que vai fazer, faça uma lista de tudo o que vai precisar e compre tudo de véspera.
• Não se esqueça das bebidas para o jantar e também dos aperitivos.
• Se a idéia é cozinhar a dois, deixe os ingredientes mais ou menos preparados: separe as quantidades necessárias, lave os legumes e verduras, limpe a carne ou o peixe e arrume tudo o que vai precisar na bancada ou na mesa de apoio.

O ambiente
• Elimine as distrações. Tire de vista as cartas por abrir, as contas por pagar, as roupas por arrumar.
• Pense nos sentidos.
• Use as luzes para dar o tom. Recorra a flores ou a velas, mas mantenha a simplicidade.


• Escolha uma música suave. Deixe o hip hop, o rock e o heavy metal para outra ocasião.


• Perfume o ambiente com incenso ou essências para a casa, mas seja comedido (a). Um aroma demasiado forte só atrapalha.


• Vista-se para a ocasião. Não é por ser na sua casa que vai deixar de pôr uma roupa especial.

Comida e sensualidade andam de braços dados. E sobre isto não restam dúvidas. No amor e à mesa, os sentidos estão em estado de alerta, aguçados, prontos para a descoberta e para o prazer. “Tem tudo a ver estarem juntos. A sensualidade está ligada à parte emocional, à sensibilidade, aos cinco sentidos”, observa Ljubomir Stanisic, de 29 anos, chefe de cozinha que dirige o seu restaurante 100 Maneiras, em Cascais, conhecido por defender esta ligação, equiparando o prazer do sexo ao prazer que os sabores despertam no paladar.
Mas é uma sensualidade que não depende apenas dos alimentos. Envolve distintos fatores, como o ambiente e o próprio gesto de preparar uma refeição. É o prazer de dar prazer, de partilhar, de proporcionar satisfação, alegria e bem-estar a outra pessoa. “O ambiente aguça os sentidos e até torna as coisas mais saborosas. Estar à mesa com alguém é um momento de intimidade. Não é por acaso que a maior parte dos acontecimentos de enamoramento e encontros românticos passa por envolver comida – comer juntos, jantar fora e até beber um café”, observa Marta Crawford, psicóloga, sexóloga e terapeuta familiar.
“Tudo é estimulante porque envolve um ritual. Isto é cultural. Desde a Idade da Pedra que o homem se reúne à volta da fogueira para comer”, acrescenta Ljubomir Stanisic. Quando não está a trabalhar no seu restaurante, este chefe de cozinha gosta de preparar comida para os amigos. “Gosto de ver as pessoas a comer com prazer. É um pouco egoísta, mas dá-me imenso gozo”, confessa. “Gosto de os ver a participar, a provar, a acompanhar a comida.” Nestas ocasiões, os seus produtos de eleição são os vegetais e o peixe. “Normalmente as pessoas não têm sensibilidade para estes alimentos. Vejo nas suas casas que não os tratam com tanto carinho. Elas tendem a não recorrer a estes alimentos ou a usá-los em sopa ou a cozê-los demais. Assim, gosto de as surpreender, de lhes revelar o lado encantador destes alimentos”, explica Ljubomir Stanisic.
Marta Crawford, por sua vez, gosta de cozinhar em ocasiões especiais. No dia-a-dia até cozinha rápido e bem, mas não gosta especialmente. É também um bom garfo, que gosta de cozinhas complicadas como a francesa, a japonesa, a italiana. Mas, na opinião desta sexóloga, uma refeição sensual não precisa de ser especialmente complexa. “Tudo depende da companhia. Até um ovo estrelado pode ser uma excelente opção”, refere. E há alturas em que é isso mesmo que lhe apetece.
E os afrodisiacos? Marta Crawford acredita que sejam mais sugestão do que outra coisa qualquer. “É claro que há produtos que provocam uma certa aceleração cardíaca e um aumento do fluxo sanguíneo, que podem fazer apelo à sexualidade, mas acho que o envolvimento que a comida proporciona é o que realmente pesa”, sublinha. “Mas alguém pensar em nós, fazer algo especialmente para nós é que cria uma pré-disposição para o romantismo e a sensualidade.”
“Gosto de cozinhar para as pessoas mas não acredito que haja alimentos ideais para as aproximar ou estimular a intimidade”, conta Ljubomir Stanisic. “Sou totalmente contra a idéia de comida afrodisíaca”, afirma com veemência. “O gesto de cozinhar é já de si afrodisíaco.”
“Este é também um gesto romântico. E até hoje todas as mulheres que tive foram por causa da comida”, recorda o chefe do 100 Maneiras. Mas, infelizmente, amigos e mulheres tendem a sentir-se intimidados de cozinhar para ele. “Quem me seduziu com a comida e ainda o faz é a minha mãe”, responde de imediato.
O dia-a-dia que passa à velocidade da luz muitas vezes dificulta que encontremos espaço para manter este ritual de sedução. Mas é preciso criar tempo para isso. “Muitas vezes chego cansada mas procuro, pelo menos uma vez por semana, criar um momento especial para jantar com o meu marido ou com os amigos em casa, com coisas que vou comprar especialmente no mercado biológico. Para estas ocasiões escolho sempre pratos bonitos e muito saborosos”, comenta a personal stylist Sofia Malta. Nestes dias gosta de preparar a casa, pôr flores, acender velas… para depois ouvir os gemidos de satisfação dos seus comensais, a delirar enquanto comem o que ela lhes preparou. “Há sempre boa disposição nisso tudo. Quando estamos entre amigos ou só os dois. Num jantar tête-à-tête acabamos por passar imenso tempo à mesa”, declara.
António e Alice fazem o mesmo. Desde aquele primeiro jantar em casa dele nunca mais se separaram. Já lá vão 10 anos. Uma relação temperada com o prazer à mesa.


Por Mariza Figueiredo

Bookmark and Share

0 comentários:

Enviar um comentário